13 junho 2011

Alcoolismo - Consumo de álcool e o sistema cardiovascular


Consumo de álcool e o sistema cardiovascular


O consumo excessivo de álcool pode ocasionar efeitos adversos cardíacos. Estudos comprovam que o álcool e um de seus produtos de degradação, o acetaldeído, impedem o correto funcionamento das células cardíacas. Dessa forma, o consumo excessivo de álcool pode ocasionar disfunção cardíaca e cardiomiopatia (doença do músculo cardíaco que se torna fraco). A cardiomiopatia alcoólica caracteriza-se por dilatação das câmaras cardíacas e redução da contratilidade dos ventrículos.

Sabe-se também que o consumo excessivo de álcool ocasiona alterações no ritmo cardíaco (arritmias). Existe uma entidade chamada "holiday heart syndrome", que consiste no aparecimento de uma arritmia cardíaca após consumo excessivo de álcool no final de semana. Em geral, esta arritmia é uma fibrilação atrial.

O mecanismo pelo qual o álcool causa estas arritmias não é conhecido. A hipótese mais aceita é a de que o etanol altera mecanismos eletrofisiológicos que regulam o ritmo cardíaco.

Outro efeito colateral do consumo excessivo de álcool sobre o sistema cardiovascular é a gênese de hipertensão arterial sistêmica (HAS). Dados de grandes estudos sugerem que o álcool é o responsável direto por 10% da população de hipertensos do Ocidente. A interação entre álcool e HAS é bem conhecida, mas não são os mecanismos pelos quais o etanol altera a pressão arterial.

Por fim, sabe-se que, assim como o exercício, o álcool impõe estresse oxidativo ao músculo cardíaco. Estudos experimentais em ratos mostram que o exercício é capaz de reduzir os efeitos deletérios do etanol sobre o miocárdio (músculo cardíaco).

Nenhum comentário:

Postar um comentário