28 junho 2011

Alcoolismo e Monges na Escócia

Vinho de monges vira símbolo de alcoolismo na Escócia
Folha de São Paulo - The New York Times - Por SARAH LYALL
COATBRIDGE, Escócia - O que é que o Vinho Tônico Buckfast tem que tanto seduz os consumidores, enquanto provoca o repúdio dos políticos?
Talvez seja sua receita especial, à base de cafeína e vinho doce, graças à qual os consumidores entusiasmados em excesso podem ficar embriagados e cheios de vigor ao mesmo tempo. Talvez sejam seus muitos apelidos apelativos, entre eles "Wreck the Hoose Juice" (algo como "suco derruba-casa" -"hoose" é a pronúncia escocesa de "house") ou sua proveniência exótica: é fabricado por monges beneditinos em uma abadia britânica.
Seja qual for a causa, o fato é que o Buckfast tem sido visto como símbolo dos problemas graves de alcoolismo na Escócia, no momento em que o país debate como combater o problema. "Para uma grande parcela da população, sua relação com o álcool é prejudicial e danosa -às pessoas, às comunidades e à nação", disse o governo escocês em relatório recente. 
E o Buckfast não parece ajudar. Pesquisa realizada no ano passado com 172 detentos revelou que 43% das 117 pessoas que tinham consumido álcool antes de cometer seus crimes disseram ter tomado Buckfast. E a polícia no distrito industrial carente de Strathclyde disse à rede BBC que a bebida foi mencionada em 5.638 boletins de ocorrência criminal entre 2006 e 2009 (em 114 dos crimes, a garrafa foi usada como arma).
Um representante da J. Chandler & Company, distribuidora da bebida, disse que o Buckfast representa menos de 1% do mercado de bebidas alcoólicas na Escócia e estaria recebendo destaque injusto. O Reino Unido como um todo finalmente reconheceu que tem um problema de alcoolismo que ultrapassa o "binge drinking" (consumo intenso de bebida alcoólica num período curto de tempo, com o objetivo expresso de embebedar-se). E, se o problema é grave na Inglaterra, é mais grave ainda na Escócia.
Em 2007 os escoceses de 16 anos ou mais consumiram em média o equivalente a 12 litros de álcool puro por pessoa, o oitavo índice mais alto do mundo. O governo estima que o abuso de álcool custe à Escócia US$ 3,6 bilhões por ano em problemas de saúde e sociais e em perda de produtividade.
Mas aquilo que, para uma pessoa, ajuda a melhorar seu estado de ânimo, para outra pode ser um estimulante preocupantemente eficaz. O vinho Buckfast tem teor alcoólico de 15%, pouco mais alto que a maioria dos vinhos. E cada garrafa de 750 ml contém tanta cafeína quanto oito latas de Coca-Cola. Nos EUA, o FDA (órgão que regula alimentos e medicamentos) estuda proibir as bebidas alcoólicas cafeinadas, que podem deixar seus consumidores desinibidos e também hiperativos, ansiosos e agressivos em função da cafeína e do açúcar.
"O Buckfast faz você explodir", disse recentemente James Grimson, que fumava um cigarro diante de um pub perto do centro de Coatbridge. "É por isso que há muitas brigas por aqui aos sábados", comentou Umair Ansar, que trabalha na cidade.




Nenhum comentário:

Postar um comentário