14 junho 2011

O álcool do ponto de vista Islâmico



O Álcool do Ponto de Vista Islâmico

Todos são unânimes em repugnaras bebidas alcoólicas, porém, de entre todas a religiões e ideologias do mundo, o Islam é que tomou uma posição firme e rigorosa contra o álcool.
A mil e quatrocentos anos, no ano 627 d. C., o Islam declarou guerra absoluta e total contra o álcool, pois, o álcool é um mal e o mal tem de ser combatido. É um inimigo que tem de ser derrubado.
O Muçulmano não pode ser liberal na condenação ao álcool por causa das amizades.

 O al-Qur'an diz: "Ó crentes, as bebidas inebriantes, os jogos de azar, (a cultuação aos) altares de pedra,
 e as adivinhação com setas,são manobras abomináveis de Satanás. Evitai-as, pois, para que prospereis. Satanás só ambiciona infundir-vos a inimizade e o rancor, mediante as bebidas inebriantes e os jogos de azar, bem como afastar-vos da recordação de Deus e da oração. Não desistireis, diante disto?" {5ª : 90-91}
Deus menciona aqui os efeitos prejudiciais das bebidas alcoólicas e dos jogos de azar na sociedade, tais como inimizades, ódios, intrigas, calúnias, injúrias, além de que causam na pessoa o desleixo na observância de suas obrigações religiosas (na recordação a Deus e no cumprimento da Oração).
Quando esses versículos foram revelados, a reação dos muçulmanos de então, foi histórica, pois os que estavam a beber, imediatamente deitaram os copos para o chão, cuspiram logo e o que estava armazenado ou ainda a ser fermentado foi destruído. Consta que nesse dia o vinho escorria nas ruas de Madina como se de água das cheias se tratasse. {Relato de AI-Bukhari}
O Profeta , o restaurador da dignidade humana, o libertador da humanidade disse:
"Tudo o que intoxica seja pouco ou muito é Harám (proibido - ilícito), pois o pouco leva a pessoa para o muito e assim se vai viciando." {Relato de Muslim}
E disse ainda:
"Não são aceites quarenta Orações do muçulmano que utiliza tóxicos, contudo, se ele pedir perdão, Deus perdoar-lhe-á e se morrer nesse estado sem pedir o perdão irá para o inferno." E disse: "O bêbado é como o adorador de ídolos." 
{Relato de Ahmad, An-Nassai}

Em árabe o ' Khamr ' quer dizer tudo o que intoxica, qualquer que seja a sua forma ou o seu nome, por exemplo, a cerveja, o vinho, o aguardente, a droga, etc.
O Profeta, disse:
"Três tipos de pessoas não entrarão no Paraíso:
1. O que bebe (bebidas alcoólicas) viciosamente;
2. O que corta relações uterinas (familiares);
3. O que confirma a feitiçaria (informações dadas pelos feiticeiros)."
 
{Relato de Ahmad}
E disse também:
"Quem comete adultério ou consome bebidas alcoólicas, Deus tira-lhe o Iman (fé) assim como a pessoa tira a sua roupa do corpo (despe-se)."

Deus amaldiçoou dez tipos de pessoas das que se relacionam com os tóxicos (o Khamr):
01 Quem produz.
02 Para quem é produzido
03 Quem bebe
04 Quem serve
05 Quem transporta
06 Para quem é transportado
07 Quem vende
08 Quem tira o lucro disso
09 Quem compra
l 0 E para quem é comprado. 
{
Relato de At Tirmizi e lbn Mája}
Arrendar o local, os meios de transporte ou utensílios para venda, transporte ou produção de vinho ou qualquer tóxico é proibido no Islam  e a receita disso é Harám (proibido). Pois Deus diz: 
"Não colaborai um com  outro no pecado."  {5ª : 2}
Quiseram saber junto do Profeta quanto às bebidas feitas a partir de mel, milho ou cevada que normalmente são fermentadas até adquirir o grau de álcool. O Profeta respondeu: 
"Tudo que intoxica é Harám (proibido) e todo tipo de Khamr é Harám."
O Profeta, disse que o bêbado não é crente.
"O adúltero quando está a cometer o adultério não é crente; e a pessoa, não é crente no momento em que está a beber vinho, e o ladrão, não é crente no momento em que está a roubar." 
{Relato de AI-Bukhari}
O Profeta não só proibiu a bebida tóxica, como também proibiu a sua comercialização, mesmo a um não-muçulmano.
Um muçulmano não pode importar nem exportar bebidas alcoólicas e nem pode oferecer a ninguém nem mesmo a um não-muçulmano, assim como fazem algumas pessoas em ocasiões especiais (Natal, Ano Novo, etc.). Também não pode trabalhar em fábricas de produção de vinho ou outros tóxicos, em bares ou restaurantes, onde os mesmos são servidos.
Não é permitido a um muçulmano vender uvas se souber que o comprador vai produzir vinho com as mesmas, tudo isto como medidas de combate a este mal.
O Ocidente combate apenas as drogas e não as bebidas alcoólicas (talvez por serem os principais produtores), enquanto os dois são prejudiciais, havendo médicos que considerem as bebidas alcoólicas mais perigosas que as drogas, devem ambas serem combatidas da mesma forma e rigor.
O muçulmano não pode recebê-las como prenda, porque ele é puro (muçulmano) e por isso não dá e nem recebe o que é impuro.
Uma vez um homem trouxe vinho e ofereceu ao Profeta, ele recusou-se a receber e informou a quem o trouxe que Deus proibiu aquela bebida. O homem perguntou se não podia vendê-lo.  O Profeta, disse: "Aquele que proibiu que fosse bebido também proibiu que fosse vendido."
O homem perguntou se podia dá-lo como prenda a um judeu.  O Profeta respondeu: "Aquele que tomou proibido também proibiu que fosse oferecido a um judeu."
O homem disse:
- Então que vou fazer com isto (o vinho)?
Deite-o fora (jogá-lo no chão), disse o Profeta.
Também não é permitido a participação de um muçulmano nos locais ou congregações onde é servido bebidas alcoólicas.
Consta num Dito narrado por Ômar (R) em que o Profeta disse: "Quem acredita em Deus e no último Dia, não deve sentar-se à mesa em que é consumido o Khamr." Relato de Ahmad e At Tirmizi.
Consta que o Khalifa Ôrnar Bin Abdul Aziz, chicoteava os que bebiam e também os que apenas faziam companhia, mesmo sem beber.

Certa vez informaram-lhe que um grupo estava bebendo, ele ordenou que todos eles fossem chicoteados. Mas disseram-lhe que entre eles havia uma pessoa em jejum (i. é, que apenas fazia companhia sem beber).  Mas ele disse:
"Comecem mesmo por ele, pois vocês não ouviram Deus dizer no Seu Livro: "Por certo que Ele vos instruiu, no Livro, que quando notardes que blasfemam, que escarnecem os versículos de Deus, não vos senteis com eles, até que mudem de conversa; porque, se assim não fizerdes, sereis iguais a eles. Sabei que Deus reunirá, no Inferno, todos os hipócritas e incrédulos." {4ª:140}
Deus concedeu superioridade ao ser humano em relação a outras criaturas ao dotá-lo exclusivamente, do juízo.  Porém, o ser humano quer destruir esse mesmo dom precioso ao consumir bebidas alcoólicas.

O Dr. Chades Richet, de Paris (Vencedor do Prêmio Nobel de Fisiologia) diz:
«O álcool paralisa os sentidos, cria o desamparo, causa vômitos, elimina o débil reflexo da razão que vacila na nossa mente pobre. Supera o homem forte e torna-o como um animal enfurecido que com a sua face mudada e os olhos avermelhados, faz juramentos, ameaça os que o rodeiam e insulta os inimigos imaginarias. Em nenhuma espécie de animais, nem entre porcos, nem chacais, nem burros, tal ignomínia é encontrada. A coisa mais feia na criação é o bêbado: um ser repulsivo, que envergonha a qualquer um de pertencer a sua espécie.»
Então o que deve beber para saciar a sede?  Os especialistas afirmam que é melhor beber água.  Os refrigerantes e sumos de fruta adoçados, devido ao açúcar (natural ou artificial) aumentam a necessidade orgânica de água. O leite e seus derivados são alimentos que geralmente contêm um elevado teor de açúcar, de proteínas, e de gordura para saciar a sede.  As bebidas que contêm álcool ou cafeína atuam como diuréticos e fazem com que o corpo perca água.
A Bíblia também condena as bebidas alcoólicas, pois consta: "Não prove nada do que nasce da videira, não beba vinho nem licor nada que seja impuro." Juizes, Cap. 13, Vers. 14

E diz também:
"Já basta que no tempo passado tenhais feito a vontade aos gentios, vivendo em luxurias, concupiscências, embriaguez, orgias, glutonarias e no culto criminoso dos ídolos." 
S. Pedro 11 Cap. 4, Vers. 3
E diz ainda:
"Jamais bebereis vinho vós e os vossos filhos." 
Jeremias, Cap. 35, Vers. 6

Nenhum comentário:

Postar um comentário