31 agosto 2013

Mike Tyson diz estar à beira da morte por causa do alcoolismo


Mike Tyson diz estar à beira da morte por alcoolismo






23 agosto 2013

Alcoolismo atinge cerca de 5,8 milhões de pessoas no Brasil


fonte : Revista Exame 2013

Alcoolismo atinge cerca de 5,8 milhões de pessoas no Brasil

O tratamento da doença dura pelo menos um ano e meio em sua fase mais intensiva e tem índice de recaída de cerca de 50% nos primeiros 12 meses


Alcoolismo: o índice de dependentes do sexo masculino (19,5%) é quase três vezes o do sexo feminino (6,9%)

São Paulo - Histórico de consumo abusivo de álcool, síndrome de abstinência e manutenção do uso, mesmo com problemas físicos e sociais relacionados, é o tripé que caracteriza a dependência em álcool, segundo a psiquiatra Ana Cecília Marques, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
O tratamento da DOENÇA, que atinge cerca de 5,8 milhões de pessoas no país, segundo o Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil, de 2005, não é fácil: dura pelo menos um ano e meio em sua fase mais intensiva e tem índice de recaída de cerca de 50% nos primeiros 12 meses.
"Ele precisa preencher os três critérios. Um só não basta para se considerar dependente", destaca a psiquiatra. Ela explica que o consumo contínuo e abusivo leva a uma tolerância cada vez maior do usuário à bebida.
"O corpo acostuma-se com o [álcool]. Ele resiste mais e, para obter o efeito que tinha no começo com uma lata de cerveja, precisará tomar cinco". A falta do álcool provoca uma série de sintomas graves, como elevação da pressão arterial, tremores, enjoo, vômito e, em alguns pacientes, até mesmo convulsão. Esse é o quadro da síndrome de abstinência.
O terceiro critério para caracterização da dependência alcoólica está ligado aos problemas de relacionamento e de saúde provocados pelo consumo abusivo.
"O indivíduo tem problemas no trabalho por causa da bebida. Ele perde o dia de trabalho mas, mesmo assim, bebe de novo". A professora destaca que, além da questão profissional, devem ser considerados diversos aspectos da vida do paciente, como problemas familiares, afetivos, econômicos, entre outros.
Em relação às outras drogas, a psiquiatra informou que o tratamento da dependência de álcool se diferencia principalmente na primeira fase, que dura em média dois meses.
"Cada substância tem uma forma de atuar no cérebro, portanto, vai exigir, principalmente na primeira fase do tratamento, diferentes procedimentos farmacológicos para que a gente consiga promover a estabilização do paciente", explica.
PROCURE AJUDA ENQUANTO HÁ TEMPO, VOCÊ PODE !

15 agosto 2013

Homem toma todas e acorda sem o pênis - com vídeo


Homem acorda sem o pênis e diz não se lembrar do que ocorreu na noite

Dominicano teve o pênis arrancado enquanto estava bêbado e não se recorda de nada do incidente.

Geraldo Ramos, um senhor dominicano de 64 anos de idade, contou à rede local de televisão que bebeu um pouco mais da conta e não tem lembranças do que aconteceu na noite.

Muitas pessoas passam por eventos semelhantes, ou pelo menos já escutaram histórias de gente que perde a consciência, que passa fiasco, esquece a carteira e os documentos ou é roubado quando está sem defesa pelo excesso de álcool.

O caso de Geraldo, no entanto, foi além. Ao acordar no dia seguinte à sua fatídica bebedeira, o senhor percebeu que – mero detalhe – estava sem o pênis. De acordo com testemunhas, ele foi atacado por um cachorro enquanto estava bêbado e foi levado para um hospital para tratar do ferimento.

No vídeo, você pode conferir o relato de Geraldo e a matéria realizada pela emissora de TV Noticias Sin.



Após o incidente, Geraldo disse que nunca mais vai colocar uma gota de álcool na boca. Um pouco tarde para tomar uma decisão dessas, não é mesmo? 

LEMBRE-SE  DISSO  ANTES  QUE  SEJA

TARDE  DEMAIS  !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


13 agosto 2013

Coma alcoólico aos 13 anos - áudio


Adolescente 13 anos - Coma Alcoólico








Decrete lei seca em sua vida - vídeo


Bebida alcoólica é a droga mais perigosa que existe



Mensagem: Bebida alcoólica é a droga mais perigosa que existe 
Intérprete: Roberto Canazio 

Gente amiga! Bebida alcoólica é a droga mais perigosa que existe Sabe por que? Porque é uma droga aceita pela sociedade, porque não é criminalizada, é vendida em qualquer lugar. Há garrafas que servem até de decoração da casa da gente, cuidado com essa droga! ela abre o caminho para outros vícios...vícios, drogas, que levam ao fundo do poço. O álcool é o menor caminho para a maconha, cocaína, crack. O álcool mata o corpo, destroi o organismo, provoca acidentes fatais e é o combustível de muitas tragédias. O álcool mata também a alma, a vontade de viver, a auto-estima, sonhos, projetos, futuro, mata tudo. A sociedade baniu o cigarro, conscientou-se de que ele também é assassino. O número de não fumantes já supera o de fumantes, mas o álcool resiste, tem todos os ingredientes malditos do cigarro e ataca todos os órgãos do corpo humano, e compromete a cabeça, juízo. Leva as pessoas a cometer crimes hediondos. O álcool mata a vontade, o desejo, o sexo, o tesão, o corpo e alma. Quem se embriaga não vive, quem se embriaga não discerne, quem se embriaga está se envenenando. Pare agora! Não encha mais esse copo, jogue essa garrafa no lixo,resista, lute, persevere. Não tome o próximo gole, defenda a sua vida, defenda a sua saúde, defenda a sua própria razão de ser! Jogue a garrafa no lixo, fuja do vício enquanto é tempo. Deixe que água pura molhe sua garganta, lavando você por dentro, dando um banho de dignidade, aquela dignidade que você estava afundando no álcool! Para agora, lute, resista, seja mais você, álcool é droga. A pior das drogas! Decrete a lei seca em sua vida! 

Autor: Antonio Marcos Pires 


05 agosto 2013

Psy e o alcoolismo

fonte : Veja 

Psy diz que bebida alcoólica é sua 'melhor amiga'

Em entrevista ao jornal britânico 'The Sunday Times', o autor do hit 'Gangnam Style' disse que só não bebe quando está de ressaca


Em entrevista concedida ao jornal britânico The Sunday Times, o sul-coreano Psy apresentou ao mundo um lado seu até então desconhecido; e que pouco tem a ver com a música. O cantor, que ficou mundialmente conhecido pelo hit Ganganam Style no ano passado, admitiu ter sérios problemas com bebida alcoólica, principalmente com vodca, à qual ele se refere como “melhor amiga”.
Além do destilado original da Rússia, também constam do menu de Psy, segundo o próprio, “uísque, tequila e tudo mais”. E engana-se quem acha que ele está preocupado com a situação. Segundo o sul-coreano, ele só não bebe quando está de ressaca, o que admite ser bem frequente. “Se estou feliz, estou bebendo, se estou triste, estou bebendo, se está chovendo, estou bebendo, se está sol, estou bebendo”, disse ele.
O estilo de vida festeiro de Psy vem de longa data. Em entrevista concedida no ano passado à revista americana Spin, ele contou que não falava muito bem inglês quando estudou música no Berklee College, em Boston, mas compensava com a bebedeira -- o álcool, afinal, ajuda qualquer um a falar, ainda que não se faça entender. 
CANDIDATO SÉRIO A TER A CARREIRA FRUSTRADA 
POR CAUSA DO ALCOOLISMO, ISSO SE CONSEGUIR 
VIVER SEM MAIORES PROBLEMAS COM SUA SAÚDE.

Ressaca : Uma pessoa de 20 anos se assemelha a uma de 40 anos


fonte : Veja - 05/08/2013

Álcool

Efeitos da ressaca continuam mesmo depois da pessoa ficar sóbria, diz estudo

Pesquisa britânica mostra que os reflexos de uma pessoa de 20 anos durante uma ressaca se assemelham aos de um indivíduo de 40 anos

Ressaca: Não é somente o álcool em si que prejudica o cérebro. Os sintomas deixados pela bebedeira também surtem esse efeito

O fim da ressaca nem sempre significa que tudo está finalmente em ordem. Os problemas cognitivos causados pela bebida alcoólica podem persistir mesmo depois de uma pessoa ter ficado sóbria, com os níveis de álcool no sangue zerados — e os males da ressaca vão muito além de tonturas e enjoos. Isso porque, segundo um novo estudo britânico, a ressaca também afeta negativamente funções como a memória, raciocínio e reflexo.
Essa pesquisa vem sendo feita na Universidade Keele, na Grã-Bretanha, e seus resultados preliminares foram apresentados na última quinta-feira, durante o encontro anual do Grupo de Pesquisa em Álcool e Ressaca da própria universidade. No estudo, os pesquisadores avaliam uma série de aspectos cognitivos (memória, raciocínio e linguagem, por exemplo) de pessoas durante uma ressaca.
Danos ao cérebro — De acordo com reportagem publicada no jornal The Telegraph, a pesquisa indicou que a ressaca prejudica especialmente a memória de trabalho, ou de curto prazo, que é relacionada ao armazenamento temporário e à manipulação de informações. Essa memória faz com que uma pessoa seja capaz de lembrar que o forno está ligado enquanto assiste a um programa de televisão, por exemplo.
Segundo os resultados preliminares do estudo, estar de ressaca diminui o funcionamento da memória de trabalho em 5% a 10% e aumenta em 30% os erros de raciocínio cometidos por uma pessoa. Além disso, os reflexos de uma pessoa de 20 anos durante uma ressaca se assemelham aos de um indivíduo de 40 anos.
Os autores da pesquisa explicam que a causa científica da ressaca ainda não é totalmente compreendida. Sabe-se que a desidratação provocada pelo consumo de álcool contribui para o os sintomas, mas acredita-se que os componentes químicos presentes na bebida também tenham um papel para o surgimento do quadro. Como os resultados apresentados são preliminares, ainda não há informação sobre por quanto tempo os efeitos da ressaca  persistem no funcionamento cerebral.