30 abril 2015

MULHER É ABANDONADA PELA FAMÍLIA POR SER ALCOÓLATRA !







ANTES DE ABANDONAR UM DOENTE ALCOÓLICO, ASSISTA ESSA REPORTAGEM E REFLITA.
De todos os medos que nos assombram durante a vida, nenhum é tão marcante quanto o do abandono. E quando se mergulha na bebida, cai na sarjeta e a doença bate no peito, como fica a vida se não tiver ajuda da família ?

O SOFRIMENTO DA FAMÍLIA POR CONTA DO ALCOOLISMO !

25 abril 2015

A AGONIA DA INSÔNIA DE UM ALCOÓLATRA


Como eram longas, as noites de insônia. Longas noites indormidas. O estômago embrulhado. A sede. Levantar. Abrir a geladeira. Tomar um copo de leite. Voltar, deitar, rolara na cama e continuar desperto. Ver o último filme de televisão sem assisti-lo. Ó noites longas, sem fim. Quantas vezes, nessas noites intermináveis, desejei morrer? Mas até a morte era avara comigo naquelas infindáveis noites de insônia e ressaca. Toda a família dormia. Todos os canais de televisão já tinham encerrado as suas programações. Ligava o rádio. Não conseguia me ligar na música. Um locutor falava coisas imbecis para os notívagos. O corpo cansado pedia repouso. Mas o sono não vinha. Fechava os olhos. Assumia a atitude de quem dorme. Respirava fundo,. Tentava enganar-me. Fingia dormir. Mas o sono fugia. Procurava relembrar o itinerário da última bebedeira. O primeiro copo de cerveja. Os amigos. A conversa inicial, o garçon, o tira-gosto. E, de repente, a memória falhava. Já não lembrava nada. Tinha entrado em “apagamento” Não sabia por onde tinha andado, como tinha voltado para casa, com quem tinha conversado, o que tinha dito ou feito. Nada. Tudo era uma grande interrogação. Enchia-me de medo. O que teria feito? Onde teria estado? Teria perdido mais um amigo ou conquistado um inimigo? A quem teria ficado devendo? Abria um livro. Tentava ler. Os olhos passeavam pelas letras simetricamente enfileiradas mas a mente não digeria as idéias. As letras pareciam um imenso exército de soldados minúsculos. Aqui e ali algumas maiúsculas. Eram os comandantes, às vezes eles se misturavam se embaralhavam. A página se enchia de manchas claras e escuras. O exército liliputiano estava guerreando. Os olhos ardiam. Fechava o livro. Examinava a roupa usada na véspera. Estava suja, amarrotada e mal cheirosa. Parecia que tinha estado em algum chiqueiro. Não havia dinheiro na carteira. Vários cheques tinham sido destacados do talão. Não havia anotado os valores dos cheques nem sabia a quem os tinha entregue. A boca amargava. Sentia náuseas. Queria vomitar, mas não conseguia. Ia ao sanitário. As fezes queimavam. Acendia um cigarro atrás do outro. A garganta, inflamada, doía. E o sono cada vez mais longe. O corpo tremia. A cabeça rodava. Apoderava-se de mim um insuportável sentimento de culpa. E a noite passando vagarosamente, com calma, sem pressa, aos poucos, machucando, batendo, castigando, matando-me, minuto a minuto, segundo a segundo de desespero e de vergonha. Como eram tristes, terrivelmente tristes, aquelas noites que nunca acabavam. Noites angustiadas, intranquilas, cheias de temores. Desesperadas madrugadas em busca de uma aurora sem esperança. Lívido amanhecer com sabor de crepúsculo. Encontro de um novo dia, alvorecer sombrio de novas bebedeiras. E a minha consciência me acusando, reclamando, apontando, me endoidando. Numa noite de insônia, ninguém pode fugir da própria consciência. A mão amiga de A.A. devolveu-me o direito de dormir. Mostrou-me nova maneira de viver. Sem álcool, sem ressaca, sem desespero. Uma vida plena, de encontro diário comigo mesmo em paz com a minha consciência.
Fonte : Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos

Fonte : www.facebook.com/vencendooalcoolismo.com.br

DEPOIMENTO DE UMA JOVEM DE 21 ANOS !


DEPOIMENTO DE UMA JOVEM DE 21 ANOS, FILHA DE UM DEPENDENTE ALCOÓLICO.
Nossa vida era terrível quando estava alcoolizado. Quando ele saía para buscar mais bebida, não sabíamos o que poderia acontecer, nem se voltaria vivo. Ele não atendia o telefone e saíamos pela cidade a sua procura. Vivíamos preocupados, noites sem dormir, dias em pânico pensando no que poderia acontecer, não tínhamos sossego. Esse processo aconteceu inúmeras vezes durante nossas vidas.
Sabíamos que ele havia bebido quando voltava tarde do trabalho, sua face avermelhada e o cheiro de álcool confirmava o que havia acontecido. A partir daí, ele passava os dias em casa, trancado no quarto bebendo, faltava o trabalho, saía apenas para comprar mais bebida. Às vezes, desaparecia sem dar notícia, pois de tanto beber não conseguia retornar para casa. Quando o corpo já não suportava mais a falta de alimento, enfraquecido pela expulsão do que restava em seu organismo, gemendo de dor dia e noite a fio, sem condições de sair comprar mais bebida, insistia para que minha mãe fosse fazendo chantagem emocional. Daí ele aceitava fazer o tratamento apenas quando já estava quase agonizando.
Por isso não devemos julgar o próximo, pois só quem passa por essas situações conhece o verdadeiro amargo da vida e o que é a doença do alcoolismo. Agora, há um ano em sobriedade, nossa vida mudou sim, para melhor. Mas depois de tantas recaídas, ainda temos receio de que a qualquer momento isso volte a acontecer".
Fonte : Jornal Semanal e AA

Fonte : www.facebook.com/vencendooalcoolismo.com.br

FAÇO PLANO PARA 24 HORAS





Alcoólatra é quem ainda faz uso do álcool. Alcoólico é quem está se recuperando, e mantendo-se em sobriedade. Sou um alcoólico, que durante anos fui alcoólatra. Bebia porque estava feliz e até quando ficava triste. Eu sempre tinha uma razão para beber. O álcool é um momento. É como uma droga, que dá uma sensação boa, naquele instante. Mas depois vem a depressão, a ressaca. E a única saída é voltar a beber de novo.
Se não tivesse parado de beber, eu teria perdido a minha família e à vida. Conheço companheiros que depois de 30 anos de sobriedade tiveram recaída. Outros, foram à ruína e perderam tudo, família, emprego, dinheiro. Alguns chegaram ao fundo do poço, decaíram e tiraram a própria vida. É muito triste conviver com o alcoolismo.
Considero que o maior problema é ter a doença e não admitir. Eu não admitia. Todo o alcoólatra não aceita isso.
Hoje comemoro uma nova vida. Não tem coisa melhor que chegar em casa e a minha família me esperar de braços abertos. Vejo minha esposa, filhas e demais familiares felizes. Percebo hoje o quanto minha família sofreu como eu sofri, por isso fico feliz em ajudar outras pessoas. Faço planos para 24 horas. A meta é manter a sobriedade dia após dia e continuar lutando para ver as pessoas longe do álcool".
Misael Barboza - Abstêmio desde OUT/2007

Fonte : www.facebook.com/vencendooalcoolismo.com.br 

14 abril 2015

APÓS COMA POR CONTA DO ÁLCOOL, LÍDER DO SUM-41 FALA DA QUASE MORTE



APÓS COMA POR CONTA DO ÁLCOOL, LÍDER DO SUM-41 FALA DA QUASE MORTE " NUNCA FIZ NADA SÓBRIO ".
Derryck Whibley, vocalista e guitarrista do grupo, teve falência de fígado e um rim por conta do excesso de bebida, com colapso em abril do ano passado. "Estou reaprendendo a andar".
Um ano após ter ficado entre a vida e a morte por conta do CONSUMO EXCESSIVO DE ÁLCOOL, o roqueiro Derryck Whibley, 35, vocalista e líder da banda Sum 41 falou sobre as sequelas que sofreu por conta do uso abusivo de bebida.
"Ainda estou reaprendendo a andar", contou ele, em entrevista ao site de música Noisey. Em abril de 2014, houve falência do fígado e de um rim de Derryck, o que fez com que ele fosse imediatamente hospitalizado. Lá, médicos o induziram ao coma, deixando-o internado por um mês.
O roqueiro, que é ex-marido da cantora Avril Lavigne, ainda teve fotos divulgadas em maio, que mostravam o seu estado físico por conta do alcoolismo. Ele explicou que agora está bem melhor de saúde e no caminho certo para a recuperação total. "Ficar em um hospital por todo aquele tempo, tudo 'murcha'. Meus músculos, tudo. Eu fiquei sem andar por muito tempo e ainda estou reaprendendo a andar normalmente", explicou ele.
Porém, Derryck percebe que o estrago do coma poderia ter lhe deixado sequelas ainda piores. "Eu poderia ter ainda mais problemas de saúde, mas meu fígado está bem. Tudo falhou antes que qualquer outro dano pudesse acontecer. Andar por aí, vivo, sem cirrose ou depender de transplantes, você sabe que poderia ter sido pior. Os médicos disseram que tenho sorte de estar vivo", completou.
Derryck ainda relembrou seu passado de dependência do álcool. "Festejar era normal. É muito estresse, um estilo de vida pesado. Eu bebia para acordar e conquistava aquela energia falsa. Havia muitas vezes que eu nem queria beber, mas eu me sentia tão cansado que uns shots de Jack [Daniels, o uísque] era tudo que eu conseguia no palco".
O vocalista e guitarrista, pelo visto, aprendeu a lição. "Nem mentalmente eu quero beber novamente. Eu cheguei ao limite e nem era divertido. Nunca fiz nada sóbrio. Desde os 17 anos eu era um beberrão, sem nunca tirar uma folga. Percebi que existem coisas que ainda não fiz na vida", finalizou ele.
Fonte : QUEM Acontece - 09/04/2015

13 abril 2015

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE - Filme Completo

UM FILME BASEADO EM FATOS REAIS ! ASSISTA !!!!!!!!!!
Numa das melhores atuações de LEONARDO DI CAPRIO.

USO de drogas desde heroína ao álcool. Para aquelas pessoas que se iniciaram no uso indevido de drogas, a educação brinda um caminho para uma intervenção e um tratamento com êxito, para sensibilizá-las sobre os riscos e perigos do uso indevido e continuado de drogas e/ou álcool, e lhes ajudar a deixar seu uso, assistam à esse filme e reflitam !









07 abril 2015

ALCOOLISMO - UMA TRAGÉDIA EM TODOS OS SENTIDOS



ALCOOLISMO - UMA TRAGÉDIA EM TODOS OS ASPECTOS !
O álcool produz dependência tanto psicológica como física. O alcoolismo geralmente interfere com a capacidade de se relacionar e de trabalhar e determina muitos comportamentos destrutivos. Os alcoólatras costumam estar intoxicados diariamente. A embriaguez pode alterar as relações familiares e sociais e provoca frequentemente divórcios. O absentismo extremo ao trabalho pode conduzir ao desemprego. Os alcoólatras frequentemente não conseguem controlar o seu comportamento, tendem a conduzir veículos tendo bebido e sofrem lesões físicas por quedas, brigas ou acidentes automobilísticos. Alguns alcoólicos podem também tornar-se violentos.
A causa do alcoolismo é desconhecida, mas o consumo de álcool não é o único fator. Aproximadamente 10 % das pessoas que bebem álcool tornam-se alcoólatras. Os familiares consanguíneos dos alcoólatras têm uma incidência mais alta de alcoolismo do que a população em geral. O alcoolismo tem também mais probabilidades de se desenvolver nos filhos biológicos dos alcoólatras do que nos adotados, o que sugere que o alcoolismo implica um defeito genético ou bioquímico. Algumas investigações sugerem que as pessoas em risco de ser alcoólicas se embriagam com menos facilidade do que os não alcoólicos; isto quer dizer que os seus cérebros são menos sensíveis aos efeitos do álcool.
Para além de um possível defeito genético, existe um certo substrato e traços de personalidade que podem predispor uma pessoa para o alcoolismo. Os alcoólatras geralmente provêm de famílias desfeitas e as relações com os pais estão frequentemente alteradas. Os alcoólatras tendem a sentir-se isolados, sós, tímidos, deprimidos ou hostis. Podem exibir comportamentos autodestrutivos e ser sexualmente imaturos. Contudo, o abuso e a dependência do álcool são tão frequentes que os alcoólatras podem encontrar-se entre as pessoas com qualquer tipo de personalidade.
Fonte : Manual Merck

Fonte : www.facebook.com/vencendooalcoolismo.com.br

NEM POR DINHEIRO, NEM POR STATUS, FAÇO POR CONSCIÊNCIA !




NEM POR DINHEIRO, NEM POR STATUS, FAÇO POR CONSCIÊNCIA !
Mostrar uma linha de expressão, após lutar por anos contra o alcoolismo não é vergonha e sim conquista, pois tem história. Não faço por grana nem status, mas sim pela consciência limpa e em dia de estar ajudando pessoas e suas famílias que lutam contra essa patologia terrível chamada ALCOOLISMO. O que me importa de verdade é que esse modesto trabalho possa conscientizar e salvar vidas, isso é o que realmente me importa.
Misael Barboza - Limpo desde Outubro de 2007

Fonte : www.facebook.com/vencendooalcoolismo.com.br

02 abril 2015

QUANDO SE QUER BEBER Á INÚMERAS DESCULPAS PARA ISSO !



O MITO : Um copo de vinho ao dia prolonga a vida ?

Errado. O relatório do "British Medical Journal" aponta falhas técnicas nos estudos anteriores que aconselhavam o consumo alcoólico moderado. Como eles não distinguiam entre não bebedores e os menos saudáveis ex-bebedores, os antigos cálculos não são confiáveis. Portanto, a forma mais saudável de beber, É MESMO NÃO BEBER UMA SÓ GOTA.

Fonte : www.facebook.com/vencendooalcoolismo.com.br